Coluna Clio

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
Clio é a musa da História na Mitologia grega.

Temer na Cadeia Aécio na Cadeia

Temer na Cadeia Aécio na Cadeia
Copiem e colem em seus perfis

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

46 FOTOS DO HISTORIADOR DE PACOTI AROLDO FILHO

46 FOTOS DO HISTORIADOR DE PACOTI AROLDO FILHO






sábado, 26 de dezembro de 2015

BAD TRIP

BAD TRIP

1 Deep web => Rede profunda; sites criptografados onde só se consegue ter acesso com programas específicos. Devido à dificuldade de se rastrear os usuários, lá se escondem tráficos de armas, drogas e órgãos, assassinos de aluguel, seitas macabra e o que de mais perverso o ser humano pode produzir.

2-  Hci, bodite pozorni, ucijo od oceta, kako je to storjeno ( Esloveno) => Filha, prestar atenção, aprender com seu pai como se faz.

3- Meine hündin ( Alemão) => Minha cadela.

4- Baphomet => criatura simbólica ambivalente com cabeça de bode, touro ou chacal e corpo humano; simboliza o bem e o mal, a luz e as trevas, o céu e a terra, o feminino e o masculino. Foi considerado um demônio uma vez que esse símbolo está associado às ciências ocultistas, à magia, à alquimia, à bruxaria, ao satanismo e ao esoterismo. Associado à Maçonaria, aos Templários e até aos muçulmanos. O desenho foi feito por Alphonse Louis Constant (1810-1875).

5- Florais de Back => Essência floral ou elixir floral é a denominação convencional para um preparado natural, geralmente elaborado a partir de flores maduras, plantas ou ainda arbustos ao qual se agrega brandy ou álcool natural como conservante. O resultado é uma solução hidroalcoólica diluída que não possui princípios ativos e que por este motivo não apresenta nenhum efeito fisiológico, biológico ou orgânico.

6- EFT => Um método terapêutico que pode ser usado na clínica ou auto aplicado e que foi criado para eliminar as intensidades emocionais negativas que criam sintomas e incômodos, nos impedindo de viver com saúde, qualidade de vida, harmonia e paz interior

7- "Lei da atração" => A expressão lei da atração (em inglês, law of attraction), apesar de utilizada amplamente pelo movimento do Novo Pensamento (New Thought), possui várias definições. Algumas referências do início do século XX conceptualizavam a lei da atração como estando relacionada a estrutura física e ao desenvolvimento da matéria . Um consenso mais moderno entre os pensadores do Novo Pensamento é que a lei da atração diz que os pensamentos das pessoas (tanto conscientes quanto inconscientes) ditam a realidade de suas vidas, estejam elas sabendo disso ou não. Essencialmente, "se você realmente quer alguma coisa e realmente acredita que é possível, você vai consegui-la", mas colocar muita atenção e pensamento em algo que você não queira significa que você também vai receber esta coisa.

8- Órgãos vestigiais =>Órgãos vestigiais são estruturas atrofiadas, sem função evidente no organismo.

9- Irradiação adaptativa => Processo que é conseqüência de isolamento geográfico de vários grupos a partir de uma população inicial, levando à diversificação das espécies com acúmulo de características diferentes ao longo do tempo e com atuação da seleção natural.

10- Convergência adaptativa => A convergência adaptativa é um processo em que organismos de diferentes espécies, mas que vivem em um mesmo tipo de ambiente por muito tempo, acabam adquirindo semelhanças morfológicas pelo processo evolutivo, graças à seleção natural. Como o ambiente é o mesmo, a pressão seletiva é a mesma para as diferentes espécies, levando a um resultado parecido. Um exemplo é a forma do corpo de animais que vivem na água, para facilitar o deslocamento neste meio. Assim, baleias e tubarões têm o corpo parecido, embora se trate de mamíferos e peixes, respectivamente.

11- Mentalidade de gado => Tendência de imitar a grande massa.

12- Reiki => Reiki (霊気? /ˈrk/) é uma "prática espiritual " enquadrada no vitalismo, criada em 1922 pelo monge budista japonês Mikao Usui. Tem por base a crença na existência da energia vital universal "Ki" (a versão japonesa do conceito chinês"Qi" (ou "Chi"), manipulável através da imposição de mãos. Através desta técnica, os praticantes acreditam ser possível canalizar a energia universal (i.e.,reiki) em forma de Ki (japonês: ki) a fim de restabelecer um suposto equilíbrio natural, não só "espiritual", mas também emocional e físico.

13- Matéria escura => Na cosmologia, matéria escura (ou matéria negra) é uma forma postulada de matéria que não interage com a matéria comum, nem consigo mesma (ou interage muito pouco com ela mesma ). Ela só interage gravitacionalmente e por isso, sua presença pode ser inferida a partir de efeitos gravitacionais sobre a matéria visível, como estrelas, galáxias e aglomerado de galáxias.

14- Energia escura => Em cosmologia, a energia escura (ou energia negra) é uma forma hipotética de energia que estaria distribuída por todo espaço e tende a acelerar a expansão do Universo.

15- "Just before you die the say you'll see your life go flashing by cold dark endless nigth, to burn in hell or bathe in heaven's night, to burn in hell or bathe in heaven's light. Well I don't want to life forever, but I do not want to die" (Black Sabbath- Life Forever) =>"Pouco antes de morrer a dizer que você vai ver a sua vida ir piscando pelo frio noite sem fim escuro, para queimar no inferno ou banhar-se na noite de céu, para queimar no inferno ou banhar-se na luz do Céu. Bem, eu não quero vida para sempre , mas eu não quero morrer " (Black Sabbath [sábado negro]- vida para sempre). 

16- "Is this the end of the beginning. Or the beginning of the end" (Black Sabbath- End of beginning) => É este o fim do começo. Ou o começo do fim" (Black Sabbath- Fim do começo).

17- "But still the voice in my head are telling me that God is dead. The blood pours down, the rain turn red. I don't believe taht God is dead" (Black Sabbath- Deus está morto) => "Mas ainda assim a voz na minha cabeça estão dizendo que Deus está morto. O sangue escorre, a chuva fica vermelho. Eu não acredito que Deus está morto" (Black Sabbath- Deus está morto).

18"Picture yourself in about on a river .With tangerine trees and marmalade skies. Somebody calls you, you answer guides slowly. A girl with kaleidoscope eyes" (The Beatles- Lucy in the sky with diamonds) => "Imagine-se em cerca de um rio. Com árvores de tangerina e céus de marmelada. Alguém lhe chama, você responde guias lentamente. Uma menina com olhos de caleidoscópio" (The Beatles Lucy no céu com diamantes).

19- "You think you know, what everyone needs. You always take time, to criticize me. It seem like everyday. I make mistakes. I just can't get in the one. But no today" ( Simple pan- Shut up) => "Você acha que sabe, o que todo mundo precisa. Você sempre levará tempo, para me criticar. Parece ser todos os dias. Cometo erros. Eu simplesmente não consigo entrar em um. Mas não hoje" (pan-Simples Cale a boca)

20- "Wherever you are, Iron Maiden's gonna get you, No matter blood flow watching it shed. Iron Maiden wants you for dead" (Iron Maiden- Iron Maiden) => "Onde quer que você esteja, a Donzela de Ferro vai lhe pegar, Não importa o fluxo sanguíneo vê-lo derramado. a Donzela de Ferro quer você morto "(Iron Maiden- a Donzela de Ferro ).

21- "I hear hurricates a blowin'. I know the end is comming' soom. I fear revers over flowing. I hear the voice of rage and ruin" ( Nirvana- Bad Moon Rising) =>"Eu ouço furacões soprando .Eu sei que o fim está chegando em breve. Temo rios transbordando. Eu ouço a voz de raiva e ruína" ( Nirvana- Lua má aumentando).

22- Pirronismo => Doutrina do pensador grego Pirro de Élida (c365-275 a.C.), que, fundando uma nova escola filosófica, o ceticismo, prescrevia o cultivo de um estado permanente de dúvida, refratário aos dogmas, às certezas inquestionáveis e à ideia de verdade./ Qualquer doutrina ou argumentação filosófica de natureza cética; ceticismo.

23-"See the world in green and blue. See China right in front of you. See the canyons broken by cloud. See the tuna fleets clearing the rea out" (U2- Beautiful day) => "Veja o mundo em verde e azul. Veja a China bem na frente de você. Veja os canyons quebrados por nuvens. Veja as frotas de atum limpando a rea out" (U2- Belo dia).

24- "I see skies of blues and clouds of white. The bright blessed day, the dark sacred night. And I think to myself ' what a wonderful world'" ( Louis Armstrong- What a wonderful world) => "Eu vejo os céus azuis e nuvens de branco. O brilho do dia abençoado, a sagrada noite escura. E eu penso comigo mesmo:" Que mundo maravilhoso! '"(Louis Armstrong Que mundo maravilhoso).

25- " I've got to break free. I want , yeah. I want,  I want,  I want,  I want, to break free ( Queen- I want, to break free) => "Tenho que me libertar. Quero, sim. Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero, para se libertar (Queen- eu quero, para se libertar).

Ateu Poeta
26/12/2015

Fontes:

Patrício, Carlos. Delirium- 1ed-São José dos pinhais, PR; Página 42 Editora, 2014.


http://www.klickeducacao.com.br/bcoresp/bcoresp_mostra/0,6674,POR-853-2425,00.html








sábado, 5 de dezembro de 2015

O PAPA É POPE

O PAPA É POPE

1- Clef de voûte (Francês) => Chave do cofre
2- Le taureau => (Francês) => O touro (vindo de taurus)


3- Crux gemmata => Cruz gemada

4- Awareness network => Rede de vigilância

5- Parquê => Parquete =>do Francês parquet => pavimento feito de tacos de madeira que forma desenhos

6- La vengeance (Francês) => A vingança

7- Find (Inglês) => Encontre
8- Lame saint => Santa falsa
9- Árs magna => A grande arte
10- Smufato => Esfumaçado
11- So dark the can of man => Tão sombrio poder do homem
12- Malleus maleficarum => Martelo mau ("martelo das bruxas" seria malleus Witches)
13-Gauche (Francês) => Esquerda, canhoto
14-Sinistra (Italiano) => Esquerda, canhoto
15-Koyanisquatsi (liguagem da tribo Liopi estadunidense) => Vida desequilibrada
16- Mauvaise idée (Francês) => Má ideia
17-Of the rock => Das rochas
18- Cruciare (Latim) => Torturar. Dessa palavra é que vieram as palavras cruz e crucifixo, com as variantes crux e cruciao
19- Santo graal => Graal ou gral significa almofariz ou vaso. Almofariz por sua vez significa recipiente de aço, de ágata, de ferro, etc., usado para triturar e homogeneizar substâncias sólidas; pilão. Vindo da palavra francesa sang, que em Espanhol é sangre e em Português é sangue. Em Francês foi criado o nome sangraal que evoluiu para sangreal e depois foi dividido em duas palavras, san greal e na verdade significa sangue real. Sang + real = sangreal. Por fim, san greal virou santo graal. No mito bíblico o santo graal seria o cálice no qual Cristo teria bebido o vinho na Última Ceia e com o qual José de Arimatéia recolhera seu sangue após Longuinus (São Longuinho) furá-lo com sua lança para ver se Cristo já havia morrido de fato na cruz e que depois se perdera e só poderia ser encontrado por um cavaleiro destemido e de coração puro.
20-Sênechaux (Francês) => Guardiães
21- Portatore (Italiano) => Portador
22- Bonsoir (Francês) => Boa noite
23- Oui  (Francês)  => Sim
24- Bordeaux (Francês)  => Bordéus (em occitano Bordèu) é a capital e a maior cidade do departamento da Gironda, no sudoeste de França. É um porto na margem sul do rio Garona. Tem cerca de 236 mil habitantes (cidade) e 1 105 000 (área metropolitana). Designou-se Burdigala na Antiguidade.
25-Fragonard (Francês)  => Jean Honoré Fragonard (Grasse, 5 de abril de 1732 - Paris, 22 de agosto de 1806) foi um pintor francês, cujo estilo Rococó foi distinguido por sua notável facilidade, exuberânciahedonismo. Um dos mais prolíficos artistas ativos nas últimas décadas do Antigo Regime, Fragonard produziu mais de 550 pinturas (sem contar desenhos e águas-fortes), das quais apenas cinco são datadas. Entre suas obras mais populares estão as pinturas de gênero, que transmitem uma atmosfera de intimidade e erotismo. Hoje dá nome a um perfume francês.
26-Boucher (Francês)  => François Boucher (Paris, 29 de Setembro de 1703 — Paris, 30 de Maio de 1770) foi um pintor francês, talvez o maior artista decorativo do chamado setecento europeu. Embora tenha vivido num séculodominado pelo Barroco, ia além desse estilo e identificava-se mais com Rococó - estilo muitas vezes alvo de apreciações estéticas pejorativas. Foi seguramente um dos pintores que melhor soube interpretar o espírito do Rococó. Também significa açougueiro. Do francês antigo Bouchier, de Bouc ("cabra"), de origem germânica. Existe um perfume chamado Boucheron.
27-Quartier Latin (Francês)  => O Quartier Latin (bairro Latino) é uma área que fica no 5º arrondissement e em parte do 6º bairro de Paris, na França, na margem esquerda (sul) do Rio Sena, em torno da Universidade de Sorbonne. O nome deriva da língua latina, que foi amplamente falada na Idade Média e próximo à universidade. Atualmente, ainda abriga vários estabelecimentos de ensino superior, como a École Normale Supérieure, a École des Mines de Paris e os Jussieu campus universitário. Outros estabelecimentos, como a École Polytechnique, foram realocados para locais mais espaçosos. É conhecido pelo seu ambiente animado e muitos bistrôs, e por ter reunido muitos artistas e escritores em sua história.
28- Geldschrank  (Alemão) =>Seguro; Banco de depósito de valores anônimos
29- Mademoiselle => Senhorita
30- Tweed => Um tipo de tecido clássico
31-Cloisonné => ( do Francês cloison, divisão), técnica de trabalho em esmalte na qual tiras finas de metal são coladas sobre uma superfície, formando um desenho composto por vários pequenos compartimentos preenchidos com pasta de esmalte vitrificado.
32- Críptex => Criptex é uma forma de proteger informações… lembra muito aqueles cadeados de segredo, aonde você depois de acertar a combinação consegue abri-lo. O principio é o mesmo, ao ter acesso ao tambor do Criptex, você poderá então ver a mensagem que nele estava escondida. Críptex é uma palavra-valise criada por Dan Brown das palavras criptologia e códice (codex). No livro e filme O Código Da Vinci ele é um cofre no formato de cilindro supostamente criado por Leonardo da Vinci. Hoje ele está sendo fabricado para usos comerciais. O Criptex tem a forma cilíndrica, sua tranca é feita por um conjunto de anéis com todas as letras do alfabeto gravadas para efetuar a senha e abri-lo. O objetivo de um críptex é esconder uma mensagem (ou informação) de tal forma que somente a entrada correta (a senha) é capaz de revelá-la, abrindo o criptex. Qualquer tentativa de abri-lo à força bruta, resulta na destruição imediata de seu conteúdo.
33- Transponder => (tec) Aparelho emissor-receptor que responde automaticamente a uma mensagem de identificação, ao sinal de um radar; repetidor de radiofrequência. O transponder (abreviação de Transmitter-responder) é um dispositivo de comunicação eletrônico complementar de automação e cujo objetivo é receber, amplificar e retransmitir um sinal em uma frequência diferente ou transmitir de uma fonte uma mensagem pré-determinada em resposta à outra pré-definida “de outra fonte”. Eles são usados também na codificação de TV via satélite.
34-Steak ao poivre (Francês) => Bife apimentado. 
35- Nekkudot => Minúsculos pontos e traços debaixo ou dentro das consoantes para indicar que vogal as acompanha na língua hebraica e em alfabetos semíticos, os quais não possuem vogal.
36- Serfardita => Sefárdico => Sefardim => Do Inglês sephardic. Relativo aos judeus de origem asiática diretamente entrados na Península Ibérica (os que provinham da Europa Oriental eram chamados asquenazins)
37- Rashi =>Rabi Shlomo Yitzhaki, mais conhecido pelo acrônimo Rashi, foi um rabino da França, famoso como o autor dos primeiros comentários compreensivos sobre o Talmud, Torá e Tanach.
38 => "An ancient word of wisdom frees this scroll... and helps us keep her scatter'd family Whole... a headstone praised by templars is the key... and atbash will reveal the thurth to thee" => "Palavra antiga e sábia este precioso rolo descerra... com o poder de unir sua família dispersa na Terra... a chave é pétrea cabeça pelos templários louvada... e atbash enfim te revelará a verdade guardada."
39-Atbash => Atbash é uma criptografia de simples substituição do alfabeto hebraico. Ela consiste na substituição do aleph (a primeira letra) pela tav(a última), beth (a segunda) pela shin (a penúltima), e assim por diante, invertendo o alfabeto usual. Um exemplo similar deste método criptográfico hebraico ocorre em Jer. 51: 1, onde Leb Kamai é um código para Caldéia.

Uma decodificação em Atbash para o alfabeto romano seria assim:


Normal: a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 
Código: Z Y X W V U T S R Q P O N M L K J I H G F E D C B A

O método Atbash pode ser usado para criptografar expressões de qualquer alfabeto, devido à simplicidade da substituição das letras. Por exemplo, em Atbash, as letras "wrmsvril" significa "dinheiro". No desafio The Da Vinci Code Quest by Google", os jogadores são obrigados a traduzir palavras do código Atbash. 

Atbash, Albam e Atbah são as três Cifras Hebraicas mais conhecidas. Datam de 600-500 a.C. e eram usadas principalmente em textos religiosos - escribas hebreus usaram a cifra Atbash para escrever algumas palavras no Livro de JeremiasEstas cifras baseiam-se no sistema de substituição simples monoalfabética. As três são reversíveis porque na primeira operação obtém-se o texto cifrado e, aplicando-se o mesmo método ao texto cifrado, obtém-se o texto original.

40- Hieros gamos => Casamento sagrado
41- Fold-over => Dobragem
42-Sheshach => Em Hebraico se escreve sh-sh-K, na matriz de substituição torna-se B-B-L, que se pronuncia Babel.  (. Jer 25:26), deveria ser equivalente a Babel (Babilônia), de acordo com um modo de segredo da escrita entre os judeus de desconhecidoantiguidade, que consistiu em substituir a última letra do alfabeto hebraico para o primeiro, o penúltimo uma para o segundo, e assim por diante. Assim, os sh letras, sh, ch se tornar b, b, l, ou seja, Babel (ver: Atbash cifra) .Este código é chamado de Atbash Cipher e foi usada para descriptografar. A cidade não aparece em nenhum mapa nem em quaisquer outros documentos, guardar o livro de Jeremias. O Atbash Cipher foi aplicado e fora de Sheshach veio a palavra Babel. Isto é suposto ser confirmada por uma referência ao Jer. 51:41, onde Sheshach e Babylon estão em cláusulas paralelas. Não parece haver nenhuma razão para duvidar de que Babilônia é aqui pretendida por este nome. (Veja Streane Jeremias, lc)
43-Baphomet => Representação modificada do deus grego Pã. Em "o código da Vince" Dan Bronw usa o método atabash para fazê-lo virar Sofia, que signigica sabedoria.
44- "In London lies a  knght a Pope interred/ His labor's fruit a holy wrath incurred/ You seek the orb that ougth be on his tomb/ It peaks of rosy flesh and seeded womb" => "Cavaleiro em Londres um Papa enterrou/ Qu'ira santa o fruto de sua obra gerou/ Busca a orbe da sua tumba ausente/ Fala de rósea carne e semeado ventre"
45-Paintting the Pope => Pinturas do Papa
46- The collected portraits => Coleção de retratos
47- London University Press => Universidade de Londres
48- Writings => Escritos
49- Die opern von  (Alemão)=> As óperas de
50- Troubadours (Inglês) => Trovadores
51-Pope (Inglês) => Papa
52- Nártex => Vestíbulo (pátio) à entrada da basílica paleocristã, destinado aos catecúmenos, para que pudessem assistir aos rituais, sem deles participar diretamente, por ainda não serem batizados (continuou em uso nas igrejas da Idade Média e, mesmo após perder seu sentido, nos períodos posteriores, permaneceu demarcado pelo espaço entre a portada e o para-vento). O termo arquitetônico nártex (em Latim narthex, com origem no Grego narthikas, νάρθηκας, gênero de planta de grandes dimensões, possivelmente similar à cana) refere-se, em sentido lato, à zona de entrada de um templo. Também outras designações podem surgir associadas a este termo, como pronaos, átrio, vestíbulo, galilé ou paraíso.

Ateu Poeta
05/12/2015
Fontes:
Bronw, Dan. O código da Vince. Sextante. Rio de Janeiro, 2004.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bord%C3%A9us

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jean-Honor%C3%A9_Fragonard

https://www.pinterest.com/pin/205547170469313126/

https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://en.wiktionary.org/wiki/boucher&prev=search

http://www.aazperfumes.com.br/perfumaria/boucheron

https://pt.wikipedia.org/wiki/Quartier_Latin


http://www.justlia.com.br/2012/05/como-usar-casacos-de-tweed/

https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://en.wikipedia.org/wiki/Tweed_(cloth)&prev=search

https://www.google.com.br/search?q=tweed&biw=1366&bih=667&source=lnms&sa=X&ved=0ahUKEwim7uq3zcXJAhXGTZAKHaYOCwoQ_AUIBigA&dpr=1#q=Cloisonn%C3%A9

http://blogdu.com.br/faca-voce-mesmo/diy-faca-seu-proprio-criptex

https://www.youtube.com/watch?v=1vCPzfFYVRA
https://pt.wikipedia.org/wiki/Criptex

https://pt.wikipedia.org/wiki/Transponder

http://www.conexaoparis.com.br/2014/05/16/culinaria-francesa-steak-au-poivre/

http://conhecerojudaismo.blogspot.com.br/2011/08/licao-2-as-vogais-nekudot.html

https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://en.wikipedia.org/wiki/Rashi&prev=search

https://pt.wikipedia.org/wiki/Atbash

http://www.numaboa.com.br/criptografia/124-substituicao-simples/168-atbash

https://pt.wikipedia.org/wiki/Hieros_gamos

https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://en.wikipedia.org/wiki/Sheshach&prev=search

https://pt.wikipedia.org/wiki/Baphomet

http://www.dicionariodesimbolos.com.br/baphomet/

https://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%A1rtex

terça-feira, 24 de novembro de 2015

LULUZINHA E 11 CURIOSIDADES SOBRE A TURMA DA MÔNICA

TURMA DA LULUZINHA E 11 CURIOSIDADES SOBRE A TURMA DA MÔNICA: UM PLÁGIO CLARO 
Por Ateu Poeta (Aroldo Historiador)

Resumo:

Foi mostrado, neste artigo, que a Turma da Mônica é um plágio da Turma da Luluzinha. Sendo que a personagem principal Luluzinha e a secundária Aninha juntas formam as principais características da personagem principal Mônica, que começou como secundária do Cebolinha. 

O cabelo, os dentes, a roupa da personagem Mônica são da personagem Aninha, com a cor da roupa da Luluzinha e seu gênio. Os personagens Cebolinha e Cascão são carecas como o personagem Carequinha, mas a fome fica apenas para Magali. 

Um fato curioso é que os sapatos usados em Luluzinha ficam apenas com Cebolinha enquanto todos os demais personagens andam descalços mas com pés em formato de sapato.

Palavras-chave: Luluzinha, Mônica, Carequinha, Cascão, Magali, Cebolinha, Mônica Jovem, Luluzinha Jovem.

Introdução:

Para começar vamos mostrar um pequeno histórico da Turma da Luluzinha e da Turma da Mônica. Inicialmente um texto chamado "da Luluzinha e do Bolinha", seguido de "10 FATOS QUE VOCÊ POSSIVELMENTE NUNCA REPAROU NA TURMA DA MÔNICA", "Os nomes dos personagens de Mauricio de Sousa " e "Turma da Mônica".

Daí, o título ser "TURMA DA LULUZINHA E 11 CURIOSIDADES SOBRE A TURMA DA MÔNICA", por que falta a 11ª e principal curiosidade que não se repara normalmente; a Mônica é um plágio da Luluzinha.  

Inclusive o fato de o Cebolinha que sempre arma, assim como o Bolinha, são os mesmos que fazem par romântico na Luluzinha adolescente e na Mônica adolescente. 

Algumas imagens da Turma da Luluzinha e da Turma da Mônica:

Seguem aqui umas imagens claras para mostrar facilmente o plágio logo de cara.
  1. Os sapatos do Cebolinha são os mesmos da Aninha, Lulu e Bolnha
  2. As roupas da Magali e da Mônica são as mesmas da Lulu e Aninha
  3. Os dentes grandes da Aninha e o cabelo da mesma são semelhantes ao cabelo e dentes da Mônica



   







Era uma das minhas BD's preferidas enquanto criança, apesar do aspecto anacrônico das suas personagens e de tudo ser passado numa época antiga, as aventuras da Luluzinha e do Bolinha eram bem divertidas, e faziam com que quisesse sempre ler mais e mais.

Luluzinha e Bolinha faziam parte da quantidade industrial de quadrinhos infantis que a Editora Abril colocava nas bancas nos anos 80, e que nós tivemos a sorte de receber por cá também, existindo tanto em revista mensal como em almanaque ocasional. Quem não se lembra do lema “Menina, não entra!”?

Little Lulu (a Luluzinha) foi criada em 1935 por Marjorie Henderson Buell para umas tiras de jornais no Saturday Evening Post, sendo publicadas até 1945. A rapariga de cachos no cabelo e vestidinho vermelho é acompanhada pelo seu colega gordinho Tubby Tompkins, mais conhecido por nós como Bolinha. Ambos estrelaram alguns álbuns juntos ou separados, até começar a ser publicada uma revista regular com argumento e arte de John Stanley.

Irving Tripp entrou a bordo alguns anos depois, tratando da arte e deixando o argumento a cargo de Stanley. Irving começou a fugir do estilo artístico de Marjorie e a deixar o seu cunho na personagem, os próximos 2 artistas ficaram mais perto desta encarnação de Luluzinha do que da sua versão original. O sucesso da personagem originou também a criação de desenhos animados, com uma música de genérico que todos ainda se recordam com saudade e que marcou uma geração.

Os primeiros desenhos foram nos anos 40 e 50 mas foi a série tipo Anime que muitos de nós conheceram, a que foi produzida entre 1976 e 1977 pela Nippon Animation. Essa versão teve direito a dobragem no Brasil e foi a que também vimos por cá em alguns episódios esporádicos na RTP.

A forma de vestir das personagens e o seu modo de vida não deixa dúvidas em relação à antiguidade da coisa, aquilo tudo reportava aos anos 40 e 50, mas mesmo assim as personagens continuaram a fazer sucesso muitos anos depois.


No Brasil começaram a ser publicados pela editora Cruzeiro em 1955, e foram distribuídos até 1972 onde os direitos passaram para a Editora Abril que começou a editar as revistas em 1973 e com o mesmo sucesso da Cruzeiro com o público a continuar a comprar avidamente as suas aventuras.

Era uma fase de ouro da editora, podíamos comprar nas bancas todo o tipo de publicação infantil, e esta turma era das que mais sucesso fazia, chegando a ter mais de 4 revistas só com estas personagens. Luluzinha, Bolinha, Almanaque da Luluzinha, Almanaque da Luluzinha e do Bolinha, Luluzinha e Bolinha Especial fora edições ocasionais como as que se dedicavam ao Bolinha e ao seu alter-ego Aranha.

Eu adorava ver o Bolinha e suas ideias estapafúrdias, ele como Aranha tinha sempre aventuras muito divertidas para tentar descobrir o culpado, que era quase sempre o pai de Lulu. A sua paixão não correspondida pela Glória também dava alguns bons momentos, para mais quando todos percebiam que ele e a Luluzinha sentiam “algo” um pelo outro.

Para além das revistas da editora Abril, chegou a haver um álbum de figurinhas (caderneta de cromos) da RGE -Rio Gráfica Editora, e inclusive uma música pela dupla Roberto Carlos e Erasmo Carlos onde cantavam uma historinha com as personagens.

Eis o grupo que constituía a turminha:

Bolinha - ("Tubby Tompkins") líder do grupo de meninos que têm como lema de seu clube a frase: Menina não entra! Personagem que todos gostam porque está sempre metido em problemas. Gosta também de vestir a pele do detective Aranha.

Carequinha ("Iggy Inch") é o melhor amigo do Bolinha, tenta sempre evitar (sem sucesso) que este se meta em problemas e está sempre a discutir com a sua irmã Aninha.

Zeca - ("Eddie Simson") e Juca - ("Willy Wilkins") são os outros integrantes da turma do Bolinha;

Aninha - ("Annie Inch" ou "Magee") Com um cabelo bem espetadinho é a melhor amiga de Luluzinha e está sempre do lado dela.

Plínio Raposo - ("Wilbur Van Snobbe") O maior rival de Bolinha, quer sempre entrar para o clube mas nunca consegue apesar de ser o menino mais rico da turma. Também é apaixonado por Glória.

Glória - ("Gloria Darling") Menina snobe da turma, sempre é perseguida pelos outros garotos;

Carlinhos - ("Chubby (Tompkins?)") Primo do Bolinha, é a clássica personagem que é quase clone da principal, só que menor. Sempre se mete em confusões e chega a ser rival do detective Aranha.

Alvinho - ("Alvin James" ou "Jones") é um pequeno menino a quem Luluzinha toma conta, o que dá algum trabalho já que é mal comportado e muito enérgico. Só sossega quando ela conta umas histórias que cria só para ele.

Dona Marocas - ("Miss Feeny") a professora da escola da Turma da Luluzinha;

Dona Marta Palhares - ("Martha Moppet") mãe de Luluzinha;

Seu Jorge Palhares - ("George Moppet") pai da Luluzinha;

Aranha - ("The Spider") apelido usado por Bolinha quando atua como detective procurando coisas perdidas para Luluzinha. O culpado era sempre o seu pai. Tem como lema "O aranha ataca novamente".

Mino - ("Sammi") amigo marciano do Bolinha;

Fifi - amiga da Lulu que mora em Paris;

Pobre Menininha - versão pobre da Luluzinha, geralmente aparece nas histórias contadas para Alvinho;

Bruxa Alcéia - ("Ol' Witch Hazel") tia da Bruxa Meméia ("Little Itch"), aparece nas histórias que Luluzinha conta para Alvinho;

Turma da Zona Norte - ("The Westside Boys") liderada por Zico, é a gangue de meninos que atazanam a turma.

As histórias eram sempre simples, mas envolviam os vários elementos da turma dando a conhecer os amigos todos, algo que nem sempre acontecia nas outras revistas infantis, talvez uma das razões do pessoal gostar disto.

A tensão romântica entre Luluzinha e Bolinha era sempre deixada umas vezes no ar, nunca exageraram na abordagem e até era feito de forma muito subtil, no entanto em algumas histórias percebia-se bem isso.

Comprava quase todos, e ao contrário de algumas outras revistas da época, continuo a ler e a querer ler mais histórias deste divertido grupo de amigos.



Texto meu originalmente publicado no Leituras de BD, mas que reaproveitei para o meu blog por se adequar ao tema :)"

---------------------------------------------------------------------------------
"10 FATOS QUE VOCÊ POSSIVELMENTE NUNCA REPAROU NA TURMA DA MÔNICA

Quem nunca perdeu horas lendo os famosos gibis da Turma da Mônica? Antigamente era o passatempo de muito jovem e crianças, que se tornaram fãs da turminha! Certamente algumas coisas não reparamos a ponto de se questionar o porque daquilo, mas como sempre tem alguém que faz isso por nós aqui está, algumas curiosidades que poucos repararam nos quadrinhos que marcaram a nossa infância. Acompanhe o post:

QUANDO O CEBOLINHA ESTÁ PENSANDO, ELE NUNCA TROCA O “R” PELO “L”.

Mauricio de Souza divulgou essa tirinha no Twitter em Setembro de 2015.

REPAREM: O CÉU MUDA CONSTANTEMENTE DE COR EM CADA QUADRADINHO.

CEBOLINHA E CASCÃO SÃO TRATADOS POR SEUS APELIDOS, ENQUANTO MÔNICA E MAGALI SÃO CHAMADAS PELO NOME PRÓPRIO.

O SHORT DO CASCÃO É BEM PARECIDO A UM KILT.

Ou um baloné? 

AS PRESAS DO ELEFANTE JOTALHÃO ESTÃO VISIVELMENTE CORTADAS.

Será que foi por causa das latas de tomate que ele vem cortando? 
PODEM REPARAR QUE OS BALÕES DE FALA NUNCA TERMINAM COM PONTO FINAL, E SIM…

Sempre terminam com: exclamação, reticências e interrogação.
POR ALGUM MOTIVO QUE JÁ IMAGINAMOS, O CASCÃO NÃO ESTÁ NOS PRODUTOS DE HIGIENE DOS PRODUTOS DA TURMA DA MÔNICA.


CEBOLINHA E CASCÃO SÃO DA MESMA ALTURA QUE MÔNICA, E INSISTEM EM CHAMA-LA DE BAIXINHA.

Não é só no tamanho que eles são parecidos, apesar de chamarem Mônica de gordinha, olhando assim eles parecem ter o mesmo IMC. Agora dentuça realmente ela é!

O ÚNICO PERSONAGEM DO DESENHO ANIMADO QUE TEM OS DEDOS DOS PÉS É O CHICO BENTO.

VOCÊ DEVE TER REPARADO QUE O CEBOLINHA É O ÚNICO PERSONAGEM PRINCIPAL QUE USA SAPATO. POR QUE SERÁ? SERÁ QUE É POSSÍVEL QUE ELE TENHA OS DEDOS DOS PÉS?!?!?!
SERÁ POSSÍVEL QUE… "
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os nomes dos personagens de Mauricio de Sousa 
por LUCAS 

Hoje é aniversário de Mauricio de Sousa, e o fantástico criador dos personagens de quadrinhos mais conhecidos do país completa 77 primaveras muito bem vividas.

E para comemorar essa data especial, vamos presentear o leitor do Quadro a Quadro com uma revelação inusitada e pouco conhecida pelos leitores da turminha, os verdadeiros nomes dos personagens ou em alguns casos, seus nomes completos.

Portanto conheçam agora verdadeiramente os personagens criados pelo Mauricio, e Feliz Aniversário Mestre!

Mônica Sousa


Essa foi fácil! A baixinha, dentuça e gordinha mais charmosa do Bairro do Limoeiro é a que provavelmente todo mundo já conhecia. Criada em 1963 nas tiras do Cebolinha como personagem coadjuvante, a dentucinha logo ganhou espaço, se tornando a personagem principal e ganhando título próprio em 1970. De lá para cá, tudo que o Cebolinha mais quer é voltar a ser o dono da "Lua".

Filha de Dona Luisa Moreira Fernandes e Seu Luís Rodolfo Castro de Sousa "Seu Sousa"


Cebolácio Júnior Menezes da Silva "Cebolinha"


Essa nós duvidamos que você, amigo leitor, sabia… O menino implicante, que fala "elado", que quer ser dono da "Lua" e tem uma estranha mania de dar nós na orelha do Sansão (coelho de pelúcia da baixinha… quer dizer, da Mônica) foi criado em 1960 e ganhou seu apelido devido ao formato dos seus cabelos.

Filho de Dona Maria Cebolácia Martins Carneiro "Dona Cebola" e Seu Cebolácio Cogumélio da Silva "Seu Cebola". Possui uma irmã caçula, a Maria Cebolácia Martins da Silva Filha "Maria Cebolinha". Durante o período em que era publicado em tirinhas de jornais, Cebolinha teve um irmão caçula, que sem explicação foi retirado das histórias do personagem, mas durante um período, Salson Martins da Silva "Salsinha" 

Magali Fernandes de Lima



Agora nem foi tão difícil assim. Criada em 1963, a personagem meiga, delicada (talvez não tanto, quando o assunto é comida) e comilona é a melhor amiga da Mônica. Na primeira aparição, usava camisa e saia verde, mas foi com o vestidinho amarelo que utiliza sempre que a personagem ficou mundialmente conhecida.

Quem sustenta do apetite voraz da Magali é sua mãe Dona Linaura Coelho Fernandes "Lina" e Seu Carlos Paulo de Lima Moraes, que possui dois apelidos, Carlitos ou Paulinho

Cássio Marques de Araújo "Cascão"


Por essa ninguém esperava. O sujinho mais famoso do mundo foi criado em 1961. Dizem que o Cascão tem os cabelos loiros, mas nos quadrinhos só aparecem pretos por causa da sujeira, porém este fato foi desconsiderado na versão jovem do personagem, já que mesmo com um certo temor pela água, Cascão toma banho e contudo seu cabelo nunca apareceu loiro.

O corinthiano é filho de Seu Antenor Cordeiro de Araújo e Dona Lurdes Pereira Marques "Lurdinha". Enquanto a mãe, obcecada por limpeza, vive implicando com o fato do filho não tomar banho, Seu Antenor é o verdadeiro parceiro do filho, sempre se envolve nas brincadeiras e acredita que quando a hora chegar, o menino vai criar coragem e tomar banho.
Francisco Antonio Felício Bento "Chico Bento"


Devido ao "Chico" suspeitamos que muita gente imaginava que o nome dele era Francisco, mas quantas pessoas podem dizer que sabiam todo o nome do caipira mais romântico dos quadrinhos? Chico Bento foi criado em 1963 nas tirinhas do Hiro e Zé da Roça, que na época se chamavam Hiroshi e Zezinho, e só ganhou título próprio em 1982. Um típico caipira brasileiro, Chico é filho de Antônio Francisco Bento "Nhô Tonico Bento" e Dona Cotinha.

Tem na figura da avó paterna, Vó Dita, uma verdadeira contadora de histórias, responsável por povoar a cabeça do Chico e da Turma com histórias sobre o folclore brasileiro.

Personagens secundários

Mauricio de Sousa tem uma infinidade de personagens, agora vamos apresentar alguns dos personagens mais conhecidos.

Franjoão Dinho Paiva "Franjinha"


Franjinha foi criado em 1959 junto com seu inseparável caãozinho Bidu.

Xavier Lorota Diniz "Xaveco"



Bastante criativo, inteligente e com imaginação muito fértil, Xaveco é o único personagem da turminha a ter os pais separados.

Licurgo Orival Umbelino Cafiaspirino de Oliveira "Louco"


Licurgo ou Louco como é mais conhecido, é capaz de realizar as coisas mais absurdas e vive a atazanar a vida do Cenourinha, ops… Cebolinha.

Luís Mauro Hiromashi Fagundes "Do Contra"


Criado em 1994, inspirado em Mauro, filho caçula de Mauricio de Sousa, sempre tenta fazer as coisas ao contrário do que é convencional. Um dos personagens mais bacana da turminha e que merece um gibi só seu! Fica atento Mauricio!

Nimbus Hiromashi Fagundes Filho



Irmão do "Do Contra", foi criado em 1994 também inspirado no caçula de Maurício. Como o Cascão, possui medo de chuva e raios, contudo, não tem medo de água, fazendo sua higiene pessoal sempre. Nimbus gosta de realizar mágicas, o que o coloca em algumas enrascadas, as vezes…

Maria Cassandra "Cascuda"


Namorada do Cascão, é meio sujinha como ele, mas vive implicando com o medo irracional que ele tem de água e sonha com o dia em que ele ficará limpo. Até isso acontecer, ela toma banho de vez enquando, o que não agrada em nada o namorado.

Ângelo Ceolino "Anjinho"


Um anjo de verdade, que desceu do céu para tomar conta da criançada no Bairro do Limoeiro. Tenta a todo custo evitar que se machuquem e seu maior desespero é quando os meninos aprontam com a Mônica, pois as vezes as coelhadas sobram até para ele. Em Turma da Mônica Jovem, modificou o seu nome para "Céu Boy", porém depois foi rebatizado de Ângelo.

Rosa Pontes da Silva "Rosinha"

Rosinha foi criada em 1964, verdadeira menina da roça, ela é tímida, bonita, decidida, um encanto de pessoa. É a namoradinha do Chico Bento, com quem tem uma relação acanhada, cheia de olhares e carinhos. A história de amor mais bonita dos personagens do Mauricio.


Por enquanto é só pessoal. Mas esse post não vai ficar por aqui, vamos fazer outros apresentando outros personagens criados pelo Mauricio. Tem a Turma do Bidu, Turma do Horacio, Turma do Penadinho, Turma da Tina, a Turma do Papa-Capim, Turma da Mata, Turma do Piteco e a Turma do Astronauta, além dos animais que estão presente nas histórias e dos personagens inspirados em jogadores e astros do cinema.

Até a próxima e esperamos que tenham gostado.


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Turma da Mônica
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Turma da Mônica
Revistinhas em quadrinhos

Capa da primeira revista com o título antigo publicada pelaEditora Abril com destaque para Mônica e Cebolinha.

País de origem Brasil
Língua de origem Português
Formato de publicação Brochura
Lançada em 1959 - presente
Publico alvo Crianças
Primeira publicação Folha da Manhã
(Atual Folha de S.Paulo)
Género(s) Comédia
Argumento mauricio de souza
Desenho turma da monica

Personagens principais Mônica
Local da acção Bairro do Limoeiro
Época da acção seculo 20 a seculo 21
Numero de páginas indeterminadas
Primeira publicação 1958 ou 1959


Turma da Mônica[1] é uma série de histórias em quadrinhos criada pelo quadrinista e empresárioMauricio de Sousa.

A série foi originada em 1959 em uma série de tirinhas de jornal, na qual os personagens principais eram Bidue Franjinha.[2] A partir dos anos 1960, a série começou a ganhar a identidade atual com a criação deMônica e Cebolinha, entre 1960 e 1963, que passaram a ser os protagonistas.

Embora a maior parte das histórias girem em torno das aventuras de Mônica, Cebolinha e seus amigos do bairro do Limoeiro, o termo do título se refere também às demais famílias de personagens criados porMauricio de Sousa, derivadas de outras séries, comoChico Bento, Tina, Turma da Mata, Penadinho, entre outros.

Desde 1970, na forma de revista em quadrinhos, os personagens já foram publicada por editoras como aAbril (1970-1986), a Globo (1987-2006)[3] e Panini Comics (2007 até a atualidade), somando quase 2.000 revistas já publicadas para cada personagem[4] . Além disso, também segue com publicação especial de tirasno formato de bolso pela própria Panini[5] e pelaL&PM.

Em 2008 foi criado um spin-off baseado no estilo dosquadrinhos japoneses, intitulado Turma da Mônica Jovem, com os personagens já adolescentes.[6]

Em 2015, a linha passou por uma reformulação, a Panini reiniciou a numeração das revistas e passou a creditar autores em algumas histórias (algo que acontecia apenas em publicações especiais), além disso, cada edição passou a trazer um QR Code que permite a acesso a conteúdos exclusivos em plataformas virtuais.[7]

Atualmente a Turma da Mônica é o principal gibi de história em quadrinhos do Brasil

Índice [esconder

Criação
Mauricio de Sousa, seu criador.

Mauricio de Sousa, analista do jornal folha da manha criou e, ingressou na área dos quadrinhos no ano de 1959 com seus primeiros personagens, Bidu e Franjinha . Ambos foram baseados na própria infância de Mauricio, sendo Bidu inspirado no seu cãozinho de estimação, Cuíca. No ano seguinte, os personagens ganharam espaço através da revista infantil Zaz Traz, pela Editora Outubro. Posteriormente um gibi intitulado "Bidu" foi lançado pela Editora Continental, sendo cancelado no mesmo ano.

Os personagens seguiram nas tirinhas de jornal, onde foram desenvolvendo suas personalidades. Mais personagens foram se destacando e ganhando séries próprias, como Cebolinha, Piteco, Astronauta, Horácio, Penadinho, Zezinho e Hiroshi (atualmente do universo da Turma do Chico Bento). Após queixas sobre a falta de mulheres em seus quadrinhos, Mônica foi criada em 1963, como uma personagem secundária nas tirinhas do Cebolinha. Baseada na sua filha real Mônica Sousa, o sucesso e o carisma da personagem fizeram dela a protagonista das tirinhas, tornando Cebolinha seu coadjuvante.

Mauricio ganhou novamente uma revista para suas criações em 1970, pela editora Abril. A princípio com o título de "Mônica e Sua Turma", vários dos personagens já criados por Mauricio nas tirinhas de jornal passaram a aparecer nas revistas, formando a hoje chamada Turma da Mônica. Competindo com quadrinhos estrangeiros como Pato Donald, Zé Carioca e Luluzinha, seus quadrinhos permaneceram firmes nas bancas e ganharam um segundo título, Cebolinha, em 1973. Um contrato com o jogador Pelépermitiu o lançamento de um personagem baseado nele mesmo. O Pelezinho, lançado em 1977, foi fenômeno entre as crianças na época, entrando para a história nos quadrinhos nacionais.

Os Estúdios Mauricio de Sousa surgiram a partir da necessidade da criação de uma equipe de roteiristas para bancar a produção mensal de histórias completas para as revistas e tiras de jornal, deixando de concentrar a produção nas mãos de Mauricio. Novos projetos puderam então ser conduzidos, como os desenhos animados , licenciamento de personagens e venda de quadrinhos para o exterior.

Outras mídias se fortaleceram ao longo dos anos e vieram produtos como livros, brinquedos, discos,CD-ROMs, jogos eletrônicos, entre outros. Em 2008, uma segunda linha de quadrinhos foi iniciada a partir de Turma da Mônica Jovem, uma publicação direcionada ao público pré-adolescente estrelada por uma versão mais velha dos personagens.
Personagens

Turma principal

Turma do Chico Bento[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Turma do Chico Bento

Turma de personagens cujas histórias acontecem em uma cidade no interior de São Paulo, a Vila Abobrinha, composta em sua maioria por fazendas. A ambientação e as rotinas das personagens retratam fielmente o cotidiano e a cultura caipira. Originalmente o principal personagem era o Zé da Roça, e Chico Bento, um coadjuvante.

Na Vila Abobrinha ficam as fazendas do Chico Bento e do Nhô Lau (da qual os meninos roubam goiabas das árvores), a escola da Professora Marocas e o centro da cidade, onde ficam os armazéns e a igreja do Padre Lino, todos frequentados normalmente por Chico e sua Turma.

Chico Bento - Caipira de chapéu de palha, blusa amarela e calça desfiada xadrez azul. Chico tem uma personalidade alegre e costuma defender os animais e a flora de Vila Abobrinha. Ele tem uma namorada, Rosinha, seu pai é agricultor e seu melhor amigo é seu primo Zé Lelé.

Rosinha - Namorada de Chico Bento. Embora seja humilde, adora os elogios que Chico faz à sua beleza e é frequentemente paquerada por Genesinho, filho do coronel, embora não dê muita bola às suas investidas.

Nhô Lau - Fazendeiro de Vila Abobrinha, rabugento, que vive tentando dar tiros de sal grosso nos meninos, incluídos no grupo Chico e Zé Lelé, por lhe roubarem goiabas. Em algumas histórias, os meninos lhe ensinam lições e Nhô Lau fica mais afável.

Zé Lelé - É o atrapalhado e não muito inteligente primo de Chico, assim como seu melhor amigo. Sua falta de inteligência e sua ingenuidade causam certa irritação dos amigos. Seu nome verdadeiro, mencionado em algumas ocasiões, é José Leocádio.
Zeca - Primo de Chico Bento, que mora na cidade e sempre vem visitá-lo na Vila Abobrinha. A cada visita, ele aprende mais sobre a natureza e as maravilhas do meio-ambiente com seu primo caipira.

Turma do Bidu

Ver artigo principal: Turma do Bidu
Bidu (1959) - é um cão azul, inspirado em um Schnauzer cor sal-pimenta, meio azulada (nas primeiras edições, o Bidu era cinza). O primeiro personagem de Mauricio, cachorro do Franjinha. Inicialmente fazia aparições apenas com a turminha, se comportando como um cachorro, mas com o tempo ganhou uma outra 'dimensão', estreando histórias solo, como ator, personagem e se comportando quase como humano, satirizando as próprias histórias.
Bugu (1972) - seu bordão é "Alô, mamãe!". Amplamente desgostado e desprezado pelo Bidu por tentar roubar-lhe a cena, Bugu é sempre chutado para fora pelo mesmo ao final das histórias. Seu maior dom é fazer imitações, e sempre arranja um jeito de representar algo no meio das historinhas do Bidu. Certa vez, apareceu Dudu, um cachorro que imita o próprio Bugu, um imitador de imitador, que foi criado pelo irmão de Maurício, Márcio Sousa, que diz que Bugu é um autorretrato, "sempre tentando roubar a cena do irmão famoso".
Manfredo (1975) - é um cachorro que faz tudo nas histórias do Bidu (nas histórias de bastidores): contrarregra, braço-direito, secretário, assistente, produtor, enfim, o que for preciso.
Duque (1960) - o melhor amigo do Bidu. Não tem nenhuma característica muito marcante além dos olhos verdes Esperto e simpático, está sempre convidando o Bidu para acompanhá-lo nos passatempos caninos, como correr atrás de pneus. Ele é o cão do Titi.
Dona Pedra (1977) - uma pedra com quem Bidu fala (e que surpreendentemente também fala).
Zé Esquecido (1987) - amigo do Bidu, famoso por se esquecer de tudo que faz ou deixou de fazer. É o cão do Xaveco, mas poucas pessoas sabem disso por 2 motivos: Xaveco é um personagem secundário e o Zé Esquecido é tão esquecido que se esqueceu aonde mora e quem é seu dono. Vive tirando o Bidu do sério, por conta dos seus lapsos de memória. Em algumas histórias é revelado que ele namora uma cadelinha de nome "Frufru Au Au".

Turma do Horácio
Ver artigo principal: Turma do Horácio

Horácio, um Tiranossauro Rex nascido fora da Terra, é um dos principais personagens de Mauricio. Comenta-se que, na verdade, é um alter-ego do próprio autor, através do qual ele pode expressar sua opinião e filosofar. Suas histórias geralmente tem fins reflexivos.

Horácio - tão ingênuo quanto filósofo, Horácio é um filhote órfão de Tiranossauro Rex, mesmo que não pareça, pois é meigo, amigo, gentil, solidário, e, o mais surpreendente, herbívoro, sendo seu prato predileto alface. Nasceu de um ovo abandonado ao sol e até hoje procura saber quem é a sua mamãe. É o único personagem cujas histórias são escritas apenas pelo próprio Mauricio.

Lucinda - namorada de Horácio. Vive falando em casamento com Horácio, que sempre tira o corpo fora.

Tecodonte - é o melhor amigo de Horácio, mas quase nunca concorda com as ideias "solidárias" deste, como na história em que Tecodonte caiu, mas Horácio não riu dele.

Simone - amiguinha do Horácio. Feminina e gentil, quase chega a balançar o coração do nosso amiguinho dinossauro. Para desespero da sua rival Lucinda. Simone não chega a ser tão direta nas intenções de namoro (como Lucinda) mas quando aparece, mostra-se bastante insinuante.

Pterodáctilo Alfredo - Foi quase um pai para o Horácio, já que nas primeiras aventuras, o dinossaurinho até ficou "hospedado" num ninho do Alfredo e sua companheira. Agora ficou um amigão do Horácio e até o carrega pra lá e pra cá, em voos deliciosos.
]
Turma do Penadinho

Ver artigo principal: Turma do Penadinho

Uma turma de seres do folclore popular mundial, tais como fantasmas vestidos de lençóis, lobisomens, múmias, etc.

Penadinho: Fantasminha alegre e simpático. Seu nome vem da expressão "alma penada". E sua atuação, no cemitério, faz com que todas as outras "assombrações" girem em torno dele: ele é amigo, conselheiro, companheiro, confidente. Às vezes dá uma de fantasma e resolve assustar algum "mortal", mas é raro. É revelado em uma história que tinha pernas altas, mas ficou baixinho, como todos o conhecem, no momento de sua morte: enquanto dirigia seu carro, entrou por acidente num ferro-velho e caiu em um compactador de metais, que o esmagou fatalmente. Há também outra versão de sua morte, a de que ele estava praticando mergulho subaquático, quando veio um tubarão e comeu a cabeça dele.

Dona Morte: Representação da morte, sempre muito atarefada. É uma das personagens centrais e principais das histórias do Penadinho. Aparece na maioria das histórias, com ou sem Penadinho e sua Turma, já que aparece por vezes em histórias individuais suas também. Mesmo sendo uma personificação do Ceifador Sinistro, a Morte propriamente dita, ela é uma criatura caridosa e inofensiva.

Muminho: É o habitante mais velho no cemitério. Deve ter comemorado uns três mil anos de morte. Mas continua alegre, bom companheiro da Turma do Penadinho e ainda com uma aparência de menino, apesar das "ataduras". Ninguém sabe como veio parar no cemitério. Talvez tenha caído do caminhão de mudanças do museu. Aparentemente é o melhor amigo de Penadinho.

Zé Vampiro: Um vampiro meio atrapalhado que sempre tenta sugar sangue de alguma vítima, mas geralmente se dá mal. Possui por volta de 600 anos de idade. É um dos grandes amigos de Penadinho. Apesar disso não leva aos extremos sua sede por sangue. Paródia do Drácula de Bram Stoker

Cranicola: Uma cabeça de caveira que fica sobre uma pedra. Sonha em ter um corpo próprio e serve de bola para as "peladas" da turma. Uma história revelou que quando era vivo foi morto decapitado em uma guilhotina, possivelmente durante a Revolução Francesa.

Frank: Um ser criado pelo dr. Frankestóim a 200 anos. Tem muitos dispositivos e geringonças diferentes guardados na cabeça. Só não é lá muito inteligente. Sátira do Frankenstein de Mary Shelley

Alminha: Uma fantasminha bonitinha, nada assustadora, que faria o coração do Penadinho bater mais rápido (se ele tivesse um). Todos no cemitério acham que ela é, realmente, a namoradinha do Penadinho. Até que a reencarnação os separe.

Lobisomem: Sabe aquela lenda de que nas noites de lua cheia um homem se transforma em lobo? Bem, com o nosso personagem acontece exatamente isso. O Lobisomem é meio lobo e meio homem e costuma sair à noite para tentar morder alguém. Parece assustador, mas não é bem assim. Nosso Lobisomem é um sujeito calmo, romântico e meio atrapalhado. Por causa disso, a única coisa que consegue atacar é um osso.

Zé Caveirinha: Esqueleto simpático que vive no cemitério com Penadinho e o resto da turma. Foi revelado em uma história que, quando vivo, ele era paleontólogo e se chamava Professor Eustáquio.

Pixuquinha: Sobrinho do Penadinho, também é fantasma e vive fazendo estripulias pelo cemitério. Seu tio Penadinho está sempre ajudando a tirá-lo de enrascadas.

Zé Finado: Coitado, até parece que morreu e não sabe. O Zé Finado é assim mesmo. Até agora, não sabe como, quando, nem por que morreu. Sujeito bacana, está sempre disposto a ajudar os outros. Vive numa covinha modesta no meio do cemitério e é amigão do Penadinho.

Turma da Tina

Ver artigo principal: Turma da Tina

Lançada em 1964, em uma tira de jornal, onde somente aparecia Tina e Rolo completamente Hippies. Mais tarde, em 1970, Tina faz a sua estreia em uma historinha solo de duas páginas. Ganhou duas séries de revistas-solo, em 2009 e 2014.

As histórias da Turma da Tina são voltadas para o público adolescente. Inicialmente Tina e Rolo tinham visual hippie e se passavam na Bahia. Ao longo do tempo, o visual deles foi mudando. Tina talvez seja a personagem mais reformulada de Mauricio de Sousa. Eles também moram no Bairro do Limoeiro e em algumas raras vezes se encontram com a Turma da Mônica, mas somente em histórias especiais, já que são mais velhos do que os personagens da "Turminha". Os principais integrantes são: Tina, Rolo,Pipa e Zecão.

Tina - Amiga, determinada, simpática, linda e com estilo, Tina é caloura na faculdade de jornalismo, e namora o Jaiminho, mas nada sério (tanto que o namoro tem seu fim nas temporadas mais recentes), e é alvo de cantadas de vários garotos. Sua vida se resume a estudos, passeios, namoros e planos para a carreira. Tem 18 anos e sempre tem histórias legais e interessantes para o público jovem. Sua melhor amiga é a Pipa, e seus melhores amigos são o Rolo e o Zecão.

Rolo - O bon vivant acha-se o rei do pedaço com as mulheres, mas nem sempre se dá bem. Tem uma moto chamada Zulmira, toca guitarra e finge que sabe surfar. Trabalha em um escritório e sempre se mete em "rolos" tentando achar uma namorada. Seu nome se deve por ter barba e cabelo azul em forma de rolos. Tem uma boa amizade com Tina, e apesar de viver paquerando várias, tem uma queda platônica por ela, que não é muito enfatizada nas histórias. Seu melhor amigo é o Zecão, namorado da Pipa.

Pipa - Gordinha e chorona, é a melhor amiga da Tina. É um tanto neurótica e ciumenta quando o assunto se trata de namoro. Namora o Zecão e tenta emagrecer sem sucesso. Faz jornalismo junto com a Tina e está sempre disposta a ajudá-la.

Zecão - Namorado da Pipa. Sempre muito largado e distraído, vive mancando com o seu relacionamento, e a Tina é quem o põe para cima quando ele briga com a Pipa e tenta fazer os dois se reconciliarem. Adora futebol, principalmente na TV, e não troca uma cochilada por nada. Seu melhor amigo é o Rolo.

Vovoca - Avó de Tina. Cheia de ideias jovens e está por dentro de tudo que ocorre no mundo atual. Está muito à frente de seu tempo.

Turma do Piteco

Ver artigo principal: Turma do Piteco

Lançada em 1964 em uma tira de jornal. Uma turma e habitantes dos tempos das cavernas e seu cotidiano, na aldeia de Lem.

Piteco - Um típico homem das cavernas, solteirão convicto. Caçador corajoso e um pouco atrapalhado, seu traço de certa forma lembra o Rolo. Prefere morrer solteirão a se casar - principalmente com a Thuga. Ele aparece no filme "Turma da Mônica - Uma Aventura no Tempo" e tem aproximadamente 39 anos. Vive na Aldeia de Lem e seu nome completo é Pithecanthropus Erectus da Silva.

Thuga - Uma mulher gordinha (lembra a Pipa) que tem como objetivo de vida casar com o Piteco (o que ele recusa firmemente). Insiste e não desiste. Ela também aparece no filme "Uma Aventura no Tempo".

Bolota - Amigo de Piteco, magricelo, careca e narigudo. É uma espécie de amigo-confidente de Piteco. Ao contrário de Piteco, bolota é casado e tenta convencer o amigo a se casar também.

Beleléu - O inventor esquisito da Pré-História. Por mais úteis que possam parecer seus inventos, o povo de Lem o considera um doido.

Turma da Mata

Ver artigo principal: Turma da Mata

Animais antropomorfizados, vivendo na selva sob o comando de um rei leão.

Dona Corujoca - coruja muito sábia que vive na floresta com o resto da turma. Ela é o personagem mais inteligente e sábio das historinhas da Turma da Mata.

Rei Leonino - outro personagem da Turma da Mata. Mas com coroa, cetro e tudo, para reinar sobre todos os outros animais. Tenta ser atuante e majestático mas geralmente se complica por ingenuidade ou excesso de autoridade. É auxiliado (às vezes não tão bem) pelo ministro do "Leva-e-Traz": Luís Caxeiro.

Luís Caxeiro - Ele é o ministro do Leva-e-Traz e o maior puxa-saco do Rei Leonino. É capaz de fazer qualquer coisa para agradar ao seu rei e, se pra isso, tiver que tomar alguma atitude contra os animais da Turma da Mata, não está nem aí. O Luís Caxeiro é um ouriço azul e com certeza deve morar no Palácio do Rei, pois nunca sai de lá.

Jotalhão - O fotogênico Jotalhão alcançou rapidamente o sucesso. Criado em 1962, foi logo requisitado para estrelar anúncios de tevê e aparecer em embalagens de diversos produtos, além de participar de histórias ao lado da Turma da Mônica, dos amigos Raposão, o Coelho Caolho e Rita Najura, uma formiguinha eternamente apaixonada por esse elefante tão charmoso.

Rita Najura - Faz parte da Turma da Mata. E sonha com um amor impossível: é apaixonada pelo elefante Jotalhão. Não é correspondida, mas não desiste.

Tarugo - É a tartaruga da Turma da Mata. Mantém longos papos com o Raposão, geralmente com bons conselhos e é a única, no pedaço, que tem um casco "teto solar". Isso lhe facilita a comunicação e a observação. É, também, compadre (é tartaruga macho) do Coelho Caolho não sei quantas vezes, já que batizou não sei quantos coelhinhos.

Raposão e Coelho Caolho - Dois compadres que habitam a mata onde também vivem outros "bichos" curiosos, criados no início da década de 60 por Mauricio. Raposão, como não poderia deixar de ser, é esperto, falante, inteligente e bom amigo do Coelho Caolho, outro habitante da mata. São tão amigos que o Raposão já perdeu a conta dos filhotes do Coelho Caolho que ele batizou. Quanto ao Coelho mais sua mulher, vivem contando e recontando a filharada na toca. Contaram 118 da última vez.

Turma do Papa-Capim

Ver artigo principal: Turma do Papa-Capim

Uma tribo de índios que vive na Amazônia (no passado). A história é usada por Mauricio para passar mensagens ecológicas.

Papa-Capim: Indiozinho brincalhão, morador da floresta Amazônica que odeia os "homens brancos que maltratam os animais" e é perfeitamente ligado a natureza. Nunca deixa seu amigo Cafuné na mão e é muito valente.

Cafuné: Indiozinho muito medroso, narigudo e brincalhão, é o grande e inseparável amigo do Papa-Capim. Ajuda seu amigo nos seus deveres e o acompanha nas suas aventuras pela mata.

Jurema: Representa a figura feminina dos curumins (crianças indígenas). Com Papa Capim ela tem uma afinidade especial, embora eles sejam apenas amigos.

Turma do Astronauta

Ver artigo principal: Turma do Astronauta

Na verdade, "turma" não seria mais correto, visto que são poucos personagens fixos. Trata-se do ambiente onde se passam as aventuras de "Astronauta", um astronauta brasileiro que viaja pelo espaço em uma nave esférica.

Astronauta (1963): Um astronauta brasileiro e herói interplanetário. Seu companheiro de viagem é um computador de bordo. Tem sua origem no interior do Brasil, numa típica fazenda, na pequena cidade de Tangará. O órgão para o qual o Astronauta trabalha chama-se Brasa - Brasileiros Astronautas.

Ritinha: Inicialmente namorada de Astronauta, sempre presente na memória dele e nas vezes em que visitava a Terra. No entanto, não se sabe o motivo, numa série de histórias publicadas, mostra-se que Ritinha cansou de esperar Astronauta voltar de suas viagens e se casou com outro, Bonifácio, e teve um filho, fazendo Astronauta cair em depressão.

Computador: O companheiro de Astronauta é um computador de bordo, estereotipado, com uma tela com uma face humana estilizada. É ele que conversa com o Astronauta e quebra sua solidão jogando com ele partidas de xadrez.

Ver artigo principal: Turma do Ronaldinho Gaúcho

Em 2006, Mauricio lançou a revista do Ronaldinho, em que repetia a experiência feita anteriormente com o Pelezinho, transformando o jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho em personagem a interagir inclusive com a Turma. Foi lançado no mês de julho de 2006, aproveitando-se da grande expectativa gerada pela Copa do Mundo daquele ano, na Alemanha.

Ronaldinho Gaúcho (2006) - Inspirado no jogador de futebol homônimo, a princípio interage com o resto da turma, mas o plano é criar todo um núcleo de personagens secundários para ele.

Diego - Fã número 1 de Ronaldinho, Diego parece até a sombra do menino! Está sempre nos mesmos lugares que Ronaldinho, querendo fazer as mesmas coisas que ele.

Assis - É o irmão mais velho de Ronaldinho Gaúcho. Desde que o pai morreu, Assis ajuda a mãe a cuidar da casa e dos irmãos mais novos.

Deisi - Irmã do meio de Ronaldinho, Deisi é uma menina meiga e carinhosa! Ela também gosta de futebol e joga como goleira no time que organizou com as amigas.

A Marca Mônica

Ao longo do tempo, a marca Turma da Mônica tem sido usada para vender diversos produtos, de produtos de higiene a petiscos para animais, passando por produtos alimentícios.

O caso de maior sucesso é o do extrato de tomate da Cica Elefante, com o Jotalhão. Nos anos 70 e 80, a propaganda de televisão desse extrato de Tomate, protagonizada por Mônica e Jotalhão ficou muito famosa, especialmente pelo tema musical: "Ô Mônica, abrace o elefante…" Sua repercussão ajudou os estúdios a investirem em animação e licenciamento de personagens, tornando a Turma da Mônica uma potência de entretenimento genuinamente brasileira.

Mídias

Publicações


A Turma da Mônica e seu universo de personagens são trabalhados em diferentes tipos de publicações, desde os tradicionais gibis (publicados regularmente desde 1970) a livros, por diferentes editoras. A linha de gibis foi publicada de 1970 a 1982 pela Editora Abril, de 1987 a 2006 pela Editora Globo e desde 2007 é veiculada pela Panini Comics.

Filmes e Desenhos Animados

Os personagens da Turma da Mônica também são os protagonistas da que pode ser considerada a primeira série de animação brasileira. Após ser introduzida na televisão como garotos-propaganda em comerciais a partir de meados dos anos 1960, histórias completas começaram a ser produzidas em 1976 e distribuídas através de filmes-coletâneas durante os anos 1980 e 1990 (lançados inicialmente nos cinemas e depois em diretamente em vídeo).

Coletâneas

As Novas Aventuras da Turma da Mônica (1986, cinema e vídeo)
Mônica e a Sereia do Rio (1986, cinema e vídeo)
O Bicho-Papão e Outras Histórias (1987, cinema e vídeo)
A Estrelinha Mágica (1988, cinema e vídeo)
Chico Bento, Óia a Onça! (1990, vídeo)
O Natal de Todos Nós (1992, vídeo)
Videos cine gibi: O Mônico (1997, vídeo)
O Plano Sangrento (1997. vídeo)
O Estranho Soro do Dr. X (1998, vídeo)
A Ilha Misteriosa (1998, vídeo)
Coleção Grandes Aventuras da Turma da Mônica (2003, relançamento em DVD incluindo novos episódios)
Cine Gibi - O Filme (2004, cinema, vídeo e DVD)
Cine Gibi 2 (2005, DVD)
Cine Gibi 3: Planos Infalíveis (2008, DVD)
Cine Gibi 4: Meninos e Meninas (2009, DVD)
Cine Gibi 5: Luzes, Câmera, Ação! (2010, DVD)
Se Liga na Turma da Mônica - Volume 1 (2011, DVD)
Se Liga na Turma da Mônica - Volume 2 (2012, DVD)
Cine Gibi 6 - Hora do Banho (2013, DVD e Blu-Ray)
Cine Gibi 7 - Bagunça Animal (2014, DVD)
Cine Gibi 8 - Tá Brincando? (2015, DVD)

Em 1999, uma série de vinhetas com os personagens estreou na programação infantil da Rede Globo (que exibiria os episódios regulares da série apenas entre os anos de 2010 e 2014). Uma exibição regular de longo prazo na TV aconteceria apenas em 2004, pelo Cartoon Network, que a transmite até hoje.

Atualmente, o desenho animado é exibido no Brasil pelo Cartoon Network e seus canais-irmãosTooncast e Boomerang.

Em Portugal, os episódios do desenho animado já passaram pelos canais RTP 2 em 2008 e SIC K em 2015. A Rede Globo ainda veicula regularmente o desenho em seu sinal internacional - disponível em países da Europa, Ásia e África.

As animações também receberam dublagem em inglês para distribuição internacional, sendo veiculadas na Itália e outros países da Europa.

Entre as demais famílias de personagens de Mauricio Horácio, Penadinho, Astronauta, Tina eTurma da Mônica Jovem [22] também já estrelaram versões animadas.

Além das animações, os personagens também estrelaram três longa-metragens de animação - "As Aventuras da Turma da Mônica" (1982), "A Princesa e o Robô" (1983) e "Uma Aventura no Tempo" (2007) - , além de dois especiais para TV e vídeo em live-action: "No Mundo de Romeu e Julieta" (1979) e "A Rádio do Chico Bento" (1989).

Dubladores

Personagem Dublador

Mônica: Maria Amélia Castilho de Toledo da Costa Manso Basile (1982); Marli Bortoletto (1983-Presente); Priscila Concépcion (Jovem)

Cebolinha Ivete Jayme (1982); Maria Angélica Santos Cruz (1983-Presente); Alex Minei (Jovem)

Cascão: Isaura Gomes (1982); Paulo Camargo (1983); Paulo Cavalcante (1986-Oficial); Fábio Lucindo (Jovem)

Magali: Silvia Ribeiro da Costa de Sousa Cordeiro Marinho (1982); Elza Gonçalves Dias (1983-Presente); Luana Bellini (Jovem)

Bidu: Odair Batista (1982); Nelson Batista (1983); Maurício de Sousa (1986-Oficial); Matheus Ueta (No especial de Natal de 2009)

Franjinha: Orlando Viggiani (1982-1983); Sibele Toledo (1986-Oficial); Marli Bortoletto (Em Um plano para salvar o planeta); Rodrigo Andreatto (Cine gibi 6)

Chico Bento: Dirceu Aparecido de Oliveira (1986-2005); Alteires Coelho (2008-Presente)


Locutor Márcio Roberto Araújo de Sousa (1982-2010) ; João Boy
Titi Márcia Gomes (1986-1987); Marcelo Souza (1995-2005, 2009-2013); Mauro Souza (Cine Gibi 3); Bruno Dias (2014-Presente)
Xaveco Marcelo Sousa (1982-2012); Marcelo Wolts (2003); Alex Minei (2012-Presente)

Denise Alice Cardoso (2004-2005); Sibele Toledo (2008-Presente)
Carminha Frufru Patrícia Mendonça (2004-2005); Aline Oliveira (2008-2010); Sibele Toledo (2013-Presente)

Aninha Marli Bortoletto (2000-2002); Alice Cardoso (2004-Oficial)

Quinzinho Alex Minei (1996-Oficial)

Anjinho Denise Simonetto (1982-1983); Sibele Toledo (1989); Alice Cardoso (1999-2013); Marli Bortoletto (2013-Oficial)

Dona Luísa Marli Bortoletto (1989-Oficial)

Seu Sousa Maurício de Sousa (1989-2003); Márcio Ribeiro (2004-2005); Maurício de Sousa (2010-Oficial)

Dona Cebola Marli Bortoletto (1986-Presente)

Seu Cebola Élcio Sodré (1986-1987); Carlos Seidl (1989); Marcelo Sousa (1999-2011); Paulo Cavalcante (2011-Oficial)

Dona Lurdinha Elza Gonçalves Dias (1986-Presente); Maria Angélica Santos Cruz (Uma Aventura no Tempo)

Seu Antenor João Boy (2001-2013); Paulo Cavalcante (Cine Gibi 6); Pedro Leite (2014-Presente)

Dona Lina Elza Gonçalves Dias (1989-Presente)

Seu Carlito Alex Minei (1999-2012); Paulo Cavalcante Egídio Jordão de Camargo (2013-Presente)

Tia Nena Marli Bortoletto (2011-Presente)

Pai do Xaveco Alex Minei (2012-Presente)

Mãe do Xaveco Marli Bortoletto (2003-Presente)

Marina Samira Fernandes (2012); Mayara Ballabela (2012-2013); 
Marina Takeda (2013); Letícia Bortoletto (2014-Oficial)

Lorde Coelhão Araquem Saldanha (1982)

Capitão Feio Márcio Araújo (2010-Oficial)

Tonhão Danilo Diniz (2013-Presente)

Monicão Zé Márcio (2003); Alex Minei (2010-Presente)

Louco Marcelo Sousa (1998-Oficial)

Cascuda: Letícia Rodrigues Quinto (1988); Sibele Toledo (2003-Presente)

Jeremias: Márcia Gomes (1986-1987); Marcelo Sousa (1995-2008); Mauro Sousa (2008-2013); Pedro Leite (2014-Presente)

Dorinha Sibele Toledo (2007-Presente)

Luca Pedro Pinheiro de Sousa (2007-Presente)

Nimbus Sibele Toledo (2009-Presente)

Do Contra Marcio Araújo (2003-Presente)
Manezinho Angélica Santos (2012-Presente)
Dudu Fátima Noya (1996); Vyni (2010-Presente)
Bloguinho Mariana Caltabiano (2009-Presente)
Humberto Marcelo Sousa (1982-Oficial)
Fabinho Yakko Sideratos (2009-Presente)
Ronaldinho Sibele Toledo (1997-Presente)
Ricardinho Pedro Bellini (2008); Pedro Pinheiro de Sousa (2013-Presente)
Xabéu Priscila Ferreira (2003); Letícia Bortoletto (2009-Presente)
Carmem da Esquina Marli Bortoletto (2011-Presente)
Maria Cebolinha Marli Bortoletto (1999-Presente)
Mãe do Dudu Luanna Bellini (2012-Presente)
Chovinista João Boy (2003-2008); Letícia Bortoletto (2009-Presente)
Mingau Marcelo 9volts (1999-Presente)
Rosinha Sibele Toledo (1986-Presente); Angélica Santos (Chico Mico)
Zé Lelé Mauro Sousa (1990); Sibele Toledo (2000-Presente)
Primo Zeca Sibele Toledo (1997-Oficial)
Zé da Roça Marcelo Sousa (1997-Presente)
Hiro Elza Gonçalves Dias (1999-Presente)
Seu Tonico Dirceu Aparecido de Oliveira (1998-2005); Alteires Coelho (2008-Presente)
Dona Cotinha Marli Bortoletto (1998-Presente)
Dona Marocas Elza Gonçalves Dias (1999-Presente)
Penadinho Marli Bortoletto (1997); Marcelo 9volts (2002-Presente)
Alminha Marli Bortoletto (2002); Junia Teixeira (2010-Presente)
Zé Vampir Marcelo Sousa (1998); Marcelo 9volts (2002-Presente)
Frank Mauro Sousa (1998-2002); Marcio Roberto Araújo de Sousa (2005); Pedro Leite (2010-Presente)
Lobi Mauro Sousa (2002); Pedro Leite (2010-Presente)
Muminho Marcelo Sousa (2002); Pedro Cameron (2010-Presente)
Zé Caveirinha Marcelo Sousa (2002); Fabio de Castro (2010-Presente)
Dona Morte Marli Bortoletto (2002); Tumura (2010-Presente)
Cranicola Carlos Capeletti (2002-Presente)
Pixuquinha Sibele Toledo (2002-Presente)
Quixupinha Sibele Toledo (2002-Presente)
Tina Marli Bortoletto (2014); Priscila Concépcion (2014-Presente)
Rolo Alex Minei (2014-Oficial)
Pipa Junia Teixeira (2014-Oficial)
Zecão Marcelo Sousa (2014-Presente)
Estúdios de Dublagem Álamo (1982-2012); MSP - Mauricio de Sousa Produções (2012-presente)

Música

A Turma da Mônica também esteve na capa de diversos LPs e CDs, com músicas-tema e outras canções infantis surgidas de seus desenhos animados, propagandas e peças de teatro.

A Bandinha da Turma da Mônica (Fermata - 1971)
A Bandinha da Turma da Mônica [Compacto] (Fermata - 1972)
A Turma da Mônica contra o Capitão Feio (Fermata - 1972)
O Natal da Turma da Mônica (RCA - 1979)
Chico Bento - Festa no Arraial (Polygram - 1982)
As Aventuras da Turma da Mônica (1984)
Turma da Mônica (Globo Discos/Som Livre (SIGLA) - 1987)
Turma da Mônica (Continental/Warner Music Brasil - 1994)
Brincar com o Movimento ( Continental/Warner Music Brasil - 1996)
Os Bichos São Nossos Amigos Animais (1998)
Animais (2004)
É Preciso se Cuidar (2004)
Aluno Nota 10 (2004)
Sorria (2004)
Planeta Terra (2004)
Hinos Brasileiros (2004)
O Natal Chegou (2004)
Vem Brincar (2004)
Viajando com a Música (2004)
Feliz Natal pra Todos (2007)
Jogos e Aplicativos[editar | editar código-fonte]

Entre vários brinquedos relacionados aos personagens, jogos também figuram com destaque. Entre eles, foram lançados:
Caça à Turma (1989)
Super Memória (1993)
Fazendo a Festa (1998)
Sopão da Magali (2002)
Quebra-Cabeça Educativo (2002)
Lince Alfabeto (2003)
Zoológico Animado (2005)
Banco Imobiliário Turma da Mônica (2008)
Cara a Cara Turma da Mônica (2008)
Detetive Turma da Mônica (2008)
Jogo da Vida Turma da Mônica (2008)
Super Massa Turma da Mônica (2008)
Tapa Certo Turma da Mônica (2008)
Sudoku Júnior (2008)
Ludo e Sobe-e-Desce (2008)
Dominó da Turma (2009)
Jogo da Memória (2009)
Quebra-Cabeças (2009)
Quebra-Cabeça Turma da Mônica Jovem (2010)
Bobeou, Dançou (2010)
Gogo's da Mônica (2011)
Puzzle Mônica 50 Anos (2013)

Com a distribuidora Sega, a Tec Toy, fez uma versão brasileira dos videogames de Wonder Boy, adaptados para incluir os personagens da Turma da Mônica como protagonistas.
ConsoleAnoJogo de Wonder BoyAnoTurma da Mônica


Em 1991, a Tec Toy também foi responsável pelo lançamento de minigames estrelados por Mônica, Cebolinha e Chico Bento, vendidos em lojas de brinquedos.

Nos anos 1990, a MSP lançou CD-ROMs que contavam histórias interativas com minigames. Foram três nessa linha: "Mônica Dentuça" (1995), "Cebolinha e Floquinho" (1996) e "A Roça do Chico Bento" (1998). Também foi lançado um editor de quadrinhos com os personagens, "Quadrinhos Turma da Mônica" (1996) e outros com passatempos e brincadeiras: Chico Bento em Um Dia na Roça (1997), PrintStudio Turma da Mônica (1997) e PassaTempo Turma da Mônica (1999).

Em setembro de 2010, durante uma coletiva sobre o videogame Zeebo, Mônica de Sousa, filha deMauricio de Sousa, apresentou uma parceria com a Zeebo Brasil para lançar cerca de 8 jogos da Turma da Mônica para a plataforma. O primeiro título é "Turma da Mônica - Vamos Brincar Nº 1", lançado em dezembro de 2010.

Desde 2012, com o lançamento da divisão de jogos digitais dos Estúdios Mauricio de Sousa, aplicativos de games e quadrinhos são produzidos diretamente para dispositivos iOs e Android.
Quero ser Turma da Mônica (2012)
Coelhadas da Mônica (2013)
Jogo do Cascão (2014)
Fábrica de Tirinhas (2014)
Mônica Tap Toy (2014)
Caixa de Quadrinhos (2015)

Um MMORPG infantil para redes sociais também foi lançado pela programadora Level Up, Turma do Chico Bento - o Jogo (2012). O serviço foi descontinuado em 2014.

Mônica no Exterior

A turma da Mônica tem gibis e outros produtos licenciados em 40 países e com 14 idiomas. Algumas revistas de personagens já foram publicadas em outros países durante os anos 80, mas sem muito destaque como Frizz & Friends na Inglaterra, Fratz & Freunde na Alemanha, Mónica y su Pandilla nos países de língua espanhola entre outros paises.

Monica's Gang ou Monica and Friends (Países de Língua Inglesa[): Monica (sem acento), Jimmy Five (Cebolinha), Smudge (Cascão), Maggy (Magali), Bucky (Titi), Franklin (Franjinha), Nimbus, Sunny (Xaveco), Mary Angela (Maria Cebolinha), Vic Vampir (Zé Vampir), Bug a boo (Penadinho), Nick Nope (Do contra), Pitheco (Piteco), Chuck Billy (Chico Bento),Specs(Zé Luís) Tina.

La banda di Monica (Itália): Monica (sem acento), Cipollino (Cebolinha), Patacca (Cascão), Magali, Tito (Titi), Frangetta (Franjinha), Nimbus, Gaio (Xaveco), Maria Cipollino (Maria Cebolinha), Vic Vampiro (Zé Vampir), Fantasmino (Penadinho), Osti Nato (Do Contra), Piteco, Tynna (Tina).

Monika dan kawan kawan (Indonésia): Monika, Jimmi Lima (Cebolinha), Dekil (Cascão), Meggi (Magali), Kishtinna (Tina) e Ciko Bento (Chico Bento).

Mónica y su pandilla ou Mónica y sus Amigos (Países de Língua Espanhola): Personagens: Mónica (Mônica), Cebollita (Cebolinha), Cascarón (Cascão), Magali, Tití (com acento), Franjito (Franjinha), Nimbus, Xavier (Xaveco), María Cebollita (Maria Cebolinha), Contreras (Do Contra), Tinna (Tina).

Parque da Mônica
Ver artigo principal: Parque da Mônica

Um parque temático dos personagens, com 10 000m² de extensão, foi inaugurado em 1993 no Shopping Eldorado, em São Paulo. Evolução do Pracinha da Mônica, um parque itinerante tocado pelo estúdio durante os anos 1980, o Parque da Mônica apresentava brinquedos especiais relacionados ao universo da Turma da Mônica, peças de teatro com os personagens e eventos especiais. O Parque chegou a ter duas filiais, em Curitiba (atual Shopping Estação), aberto em 1998 e fechado em 2000, e no Rio de Janeiro (Shopping Città America), aberto em 2001 e fechado no início de 2005.

O Parque de São Paulo encerrou suas atividades em 2010 e foi reaberto em 2015 no Shopping SP Market, localizado na Zona Sul da cidade. novamente a turminha mais querida do brasil volta com mais um novidade a chácara turma da Mônica
Lojinha da Mônica

Durante os anos 80, a turma também chegou a ter sua própria rede de lojas. A Lojinha da Mônica e o Trenzinho da Mônica, com filiais em vários estados do Brasil, vendiam produtos relacionados com as personagens. Em 2013, a franquia foi retomada na forma de um portal de e-commerce.
Referências

Ir para cima↑ Baú Belvedere, Giovana.Turma Da Mônica. [S.l.: s.n.].
Ir para cima↑ "Parque da Mônica, sucesso dos anos 90, encerra atividades". Guia da Folha Online. 16/02/2010. Visitado em 16/02/2010.
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Turma da Mônica

veMídia da Turma da Mônica

vePersonagens de Mauricio de Sousa
Turma da Mônica

---------------------------------------------------------------------------------
Considerações finais:

As maiores diferenças entre os dois quadrinhos, além das épocas, é que a Mônica é muito forte e bate sempre no Cebolinha que sempre tenta pegar seu coelho Sansão e que na Turma da Mônica os defeitos são acentuados e os personagens são conhecidos pelos seus defeitos, mas não existe um personagem gordo a priori como o próprio Bolinha que é um dos poucos que é conhecido pelo apelido, assim como o Carequinha em Luluzinha. O plágio é evidente inclusive porque a Lulu é muito mais antiga que a Mônica.

Fontes: